SÃO PAULO - A atenção no trânsito é fundamental. A correria do dia-a-dia, estresse, distração, chuva, pressa... todos esses são fatores que podem prejudicar o motorista enquanto dirige e, num descuido, ser responsáveis por um acidente.

Algumas vezes - e para alívio das partes envolvidas -, a "batidinha" é leve, sem vítimas. Porém, em outras ocasiões, o acidente é mais grave. Saiba, passo-a-passo, como reagir numa situação dessas.

Socorro é fundamental De acordo com a Pro Teste, o socorro às vítimas é prioridade nesse tipo de acidente. Quando ligar para a polícia, peça uma ambulância ou chame diretamente o corpo de bombeiros.

Evite mover a vítima até que chegue o socorro e não tire os veículos envolvidos do lugar. Esse procedimento visa facilitar o trabalho dos peritos.

Sinalize a área com lenços, galhos... não se restrinja só ao pisca-alerta e ao triângulo. Essas medidas não extremamente necessárias para evitar que outros motoristas se envolvam no acidente.

De quem é a culpa? Busque testemunhas que possam prestar depoimento à polícia e fique em contato com elas. Os policiais farão o Boletim de Registro de Acidente de Trânsito (BRAT) e todos os envolvidos serão conduzidos à delegacia para fazer a ocorrência.

No caso de acidente com vítimas, será aberto um inquérito criminal. Havendo vítima fatal, o causador do acidente poderá ser indiciado por homicídio doloso e, no caso de feridos, o indiciamento será por lesão corporal.

Processos legais O motorista deve contratar um advogado, sendo ele o culpado ou a vítima. Caso seja a vítima, ou tenha perdido algum parente numa situação dessas, pode processar o causador do acidente pelos danos causados (materiais e morais) e ainda utilizar os recursos do DPVAT, seguro-obrigatório pago anualmente em conjunto com o IPVA.