SÃO PAULO – Encontrar um imóvel para alugar, baseado apenas na vizinhança onde ele se encontra e na aparência e conservação pode ser fácil, mas saber qual se encaixa no seu perfil, seja ele casa ou apartamento, é o mais difícil. “O imóvel perfeito é aquele que se adequa às necessidades do morador”, explica o advogado imobiliário e diretor de Condomínios da Primar Administradora de Bens, Carlos Samuel de Oliveira Freitas.

Na hora de procurar um imóvel, o comprador deve avaliar quais são suas necessidades e também tentar descobrir como são os vizinhos, se a rua é tranquila, se tem uma infraestrutura de serviços próxima do imóvel. “Quando for conhecer um apartamento, é preciso sondar com o zelador, de forma sutil, quem serão os vizinhos que moram em cima e embaixo. Se tem crianças e animais. O mesmo deve ser feito com a casa, é importante saber como é a vizinhança, se a rua é tranquila, se tem algum estabelecimento barulhento”, aconselha a gerente de Locação da Lello Imóveis, Márcia Vavassori.

Segurança

De acordo com Freitas, existem casos específicos para cada perfil. “Para quem deseja a comodidade de uma casa, com a segurança de um apartamento, o ideal é morar em uma vila ou condomínio fechado”, explica, afirmando que não há moradia totalmente segura. “Não dá para falar o que é mais seguro, mas o ladrão sempre procura o mais fácil”, comenta.

Na opinião de Márcia, para quem busca segurança, os apartamentos são os imóveis mais indicados. “Em termos de segurança, é evidente que um apartamento é ideal, mas, caso a pessoa deseje morar em uma casa, que ela seja em um condomínio fechado”, afirma.

Para a gerente da Lello, mesmo que o imóvel não fique vazio o dia todo, um apartamento pode proporcionar mais segurança para os moradores que passarem mais tempo no imóvel. “O apartamento é uma moradia mais segura”, completa.

Espaço

Para o advogado, alugar uma casa é a melhor opção para quem quer um imóvel com bastante espaço. “No tocante espaço, a casa é melhor, além de levar em conta o preço, que é menor”, explica.

Já na opinião de Márcia, os condomínios hoje oferecem diversas opções de lazer. “Hoje, os condomínios têm uma área de lazer bem grande, com salas de jogos, playground e academia, entre outros”, completa.

Além disso, a gerente explica que cada vez mais casais jovens ou com crianças preferem os apartamentos, exatamente pela infraestrutura de lazer que eles proporcionam. “Geralmente esse perfil não procura por casa. Por outro lado, ao menos na região da Mooca [zona leste da capital paulista], as casas são mais procuradas por idosos, mas neste caso são imóveis pequenos. Já as casas com mais quartos são procuradas por empresas, que costumam trazer funcionários para São Paulo”, comenta.

Privacidade x convívio social

Algumas pessoas costumam escolher o imóvel que mais lhes proporciona privacidade, sem vizinhos sabendo a hora em que se entra ou se sai. Por outro lado, há os que preferem locais com mais vizinhos, oferecendo um convívio social maior.

Para Freitas, a pessoa que deseja ter privacidade deve procurar por condomínios com um apartamento por andar. “Mesmo sendo mais caro, é o preço que se paga pela privacidade, pois, em qualquer outro imóvel, o mínimo que a unidade vai ter são os vizinhos, principalmente nos locais mais seguros”, explica.

De acordo com a gerente, para quem prefere locais que proporcionem mais convívio social, em alguns casos, a correria do dia a dia impede que os vizinhos de apartamentos se conheçam. Segundo ela, “existe muito individualismo”, e mesmo nos condomínios que possuem áreas de lazer, a socialização é mais restrita.

Na opinião de Márcia, as casas são ideais para quem quer conhecer os vizinhos, pela proximidade das residências e facilidade de se encontrar com os moradores da mesma rua.

Regras

Segundo Márcia, algumas pessoas optam pelas casas para não se submeterem às regras do condomínio. “Existem pessoas que preferem as casas por causa da liberdade, principalmente aqueles que gostam de dar festas”, explica.

Para Freitas, nos condomínios, as regras existem e devem ser cumpridas. “Quem opta por um condomínio deve saber que existe um regulamento interno e o morador fica sujeito a ele. Por outro lado, nas casas também existem as regras, dos dois lados deve haver respeito ao espaço do outro”, afirma.

Bicho de estimação

De acordo com o advogado, os animais são os maiores causadores de problemas nos condomínios, porém, segundo ele, o Judiciário tem entendido a importância dos animais na vida das pessoas. “Os tribunais entendem que principalmente pessoas que moram sozinhas precisam da companhia dos animais. Porém, é preciso adequar o animal ao local que se vive”, explica.

Ele explica que, para quem possui animais de grande porte ou mais barulhentos, o ideal é morar em uma casa. “A pessoa sempre deve pensar no perfil do animal, quando vai alugar um imóvel”, afirma.

Para quem prefere morar em condomínio, animais mais calmos e de pequeno porte são os ideais. “Animais de pequeno porte podem habitar tranquilamente em um apartamento. Já para os de médio e grande porte, uma casa traria mais comodidade tanto para o dono quanto para o animal”, finaliza.