SÃO PAULO - O seguro tem como objetivo protegê-lo do impacto financeiro que um determinado evento futuro certo, ou não, pode lhe causar. A este evento futuro, que pode prejudicar a sua situação financeira e para o qual você contrata seguro para se proteger, damos o nome de risco.

Os riscos que os seguros podem cobrir são os mais variados e incluem desde o roubo do seu carro, incêndio na sua residência, uma operação de emergência ou simplesmente de falecer e deixar sua família desamparada. Ao fazer um seguro, você garante que terá direito ao recebimento de uma determinada quantia, também conhecida como indenização ou cobertura, caso um destes eventos venha a acontecer.

Exatamente por isso, pode-se afirmar que o seguro ajuda no seu planejamento financeiro. Afinal, ao invés de ser surpreendido com uma despesa extraordinária (com carro, casa ou saúde), você se planeja para ele, contribuindo todos os meses para uma apólice de seguro.

Como o risco é estimado? Como possuem vários clientes que compram produtos diferentes, as seguradoras conseguem, desta forma, diversificar e reduzir o risco de que estes eventos aleatórios venham a acontecer.

Como reduzir não significa eliminar, parte do dinheiro que você paga para a seguradora é colocado em uma reserva técnica, cujos recursos são aplicados no mercado financeiro. Ao aplicar os recursos desta reserva, a seguradora consegue não só cobrir seus custos operacionais, como também cobrir as indenizações, quando e se necessário.

Mas, como a seguradora define qual parcela do dinheiro que você paga através dos prêmios será destinada à reserva técnica? De forma simples, quanto maior o risco de que o evento do qual você quer se proteger, maior será a contribuição à reserva técnica. Este risco é calculado por profissionais especializados chamados atuários.

Matemáticos especializados na análise de riscos aleatórios, os atuários conseguem, com base em estatísticas históricas, determinar o risco do motorista X que dirige o carro Y sofrer um acidente que resulte na perda total. É com base nesta análise que é estimada a parcela do valor que você paga que será destinada à reserva técnica.

Que tipo de cobertura você precisa? Os seguros podem ser agrupados em três classes distintas: os que cobrem risco de que algo aconteça com uma pessoa (seguro de vida ou de saúde), com um bem (de automóvel ou residência), ou com terceiros (seguro de responsabilidade civil, DPVAT).

O primeiro passo a ser tomado é identificar o risco que você quer cobrir; feito isto, você precisa determinar que tipo de cobertura e garantia quer receber. Com base nestes parâmetros, a seguradora estabelece a compensação econômica do segurado, isto é, a indenização que irá receber.

Os termos de relacionamento entre o segurado e a seguradora devem ser definidos no contrato. É nele que ficará estabelecido, por exemplo, o valor do prêmio que você terá que pagar, assim como a cobertura a que terá direito, e valor da indenização.