SÃO PAULO - A escolha do cartão de crédito ideal vai depender, sobretudo, da forma como você pretende usar o seu cartão. Afinal, cada um de nós se comporta de uma forma distinta quando sai às compras e usa o seu dinheiro de plástico.

Seja sincero consigo mesmo e responda: como você tem usado o seu cartão? Como mais uma conveniência, de forma que ele funciona quase como um meio de pagamento alternativo ao cheque, ou você é daqueles que freqüentemente financia parte das suas compras no cartão?

O cartão é mais uma conveniência? Se você respondeu afirmativamente a esta pergunta, então você é daqueles que pagam o total da sua fatura no final de cada mês. Para você, a taxa de juro não é um fator decisivo na escolha de um cartão de crédito, afinal ao pagar integralmente a fatura você nunca usa a opção de crédito do cartão.

Para você o cartão permite administrar melhor os seus pagamentos, já que só precisa efetuar alguns pagamentos na data da fatura, o que não seria possível na compra com dinheiro, por exemplo. Se você faz parte desse grupo, escolha um cartão cuja anuidade seja a mais baixa possível. Talvez você não saiba, mas alguns cartões sequer cobram taxa de anualidade. Por outro lado, você pode preferir pagar anuidade, em troca da possibilidade de receber alguns benefícios, como por exemplo, milhagem, prêmios etc. Mesmo assim faça as contas, pois pode ser que o benefício anunciado não compense a taxa de anuidade, ou o fato dos juros serem mais elevados.

O cartão é uma fonte de crédito rápido? Em geral quem faz parte deste grupo opta por pagar apenas o valor mínimo exigido (em geral cerca de 20% do total da fatura). Quem pertence a esse grupo deve dar preferência aos cartões que oferecem a menor taxa de juro.

Afinal, ao pagar apenas o mínimo exigido pela operadora, você está constantemente usando o cartão como uma forma de financiamento, sendo que a sua dívida crescerá em função dos juros cobrados.

Mas fique atento! Muitas instituições oferecem taxas de juros bem mais baixas que as praticadas pelo mercado, mas essas taxas só são válidas por um período determinado de tempo. Uma vez terminado esse período, as taxas aumentam para níveis muito mais altos do que os praticados pelo mercado. Se você for capaz de quitar sua dívida antes dessas taxas serem praticadas, então não há problemas. O cartão é um pouco dos dois? Se na maioria das vezes você paga o total da sua fatura, mas em alguns meses acaba pagando só uma parte, então você se encaixa nesse grupo. Na maioria dos casos, essas pessoas tendem a zerar sua dívida em poucos meses, e é por isso que são conhecidas como tomadores de crédito esporádicos.

Se você faz parte desse grupo, então não vai ser tão fácil decidir qual o melhor cartão de crédito para você. A escolha vai depender da freqüência com que você usa o cartão para se financiar. Um bom exercício é comparar o quanto você pagou em juros no ano passado, com o que pagou de taxa de anualidade. Caso os dois gastos sejam similares, então você deve pesquisar por cartões de crédito com taxas semelhantes, mas que não cobram anualidade. Se os gastos com juros foram mais elevados, então sua melhor escolha é procurar um cartão que cobra a mesma anualidade, mas com uma taxa de juros inferior.